Saúde Integrativa

Entenda a diferença entre alergia e intolerância alimentar

O número de pessoas com intolerâncias ou alergias alimentares está cada vez maior. Como este é um assunto que pode causar muitas dúvidas, inseguranças e frustrações na vida de quem está passando por isso direta ou indiretamente, resolvi falar um pouco mais sobre ele aqui hoje.

A grande maioria das reações físicas a certos alimentos é provocada por intolerâncias alimentares, porém, como principalmente os sintomas gastrointestinais são comuns nas duas condições, alergia e intolerância, muitas pessoas os confundem.

Uma verdadeira alergia alimentar provoca uma reação do sistema imunológico que afeta vários órgãos do corpo. Ela pode causar uma variedade de sintomas que envolvem o trato respiratório, gastrointestinal e a pele. Em alguns casos, uma reação alérgica a um alimento pode ser grave com risco de morte. Em contraste, os sintomas de intolerância alimentar são geralmente menos graves e muitas vezes limitados a problemas digestivos.

Nos casos de intolerância alimentar, há a possibilidade de comer pequenas quantidades do alimento agressor ou reduzir o seu impacto. Por exemplo, se você tem intolerância à lactose, você pode beber leite sem lactose ou tomar comprimidos de enzimas de lactase para auxiliar na digestão. O mesmo não acontece nos casos de alergias.

Se você tem uma alergia alimentar, a ingestão pequenas quantidades do alimento pode desencadear uma reação alérgica com risco de morte (anafilaxia), mesmo se as reações anteriores foram leves. Não há como prever a intensidade da reação do corpo quando em contato com o alérgeno. Alérgenos são proteínas comumente encontradas em alimentos que podem induzir uma reação de hipersensibilidade. Os alimentos mais alérgenos são: ovos, peixe, ostras, leite de vaca, amendoim, soja, castanhas e trigo.

Os alimentos mais alérgenos são: ovos, peixes, ostras, leite de vaca, amendoim, soja, castanhas e trigo.

As reações alérgicas alimentares acontecem quando o sistema imunológico confunde uma proteína inofensiva com um invasor e a ataca, produzindo imunoglobulinas (anticorpos) do tipo IgE, ou seja, proteínas especiais que podem detectar proteínas alimentares específicas presentes na superfície das células em todo o corpo. Como um radar, esses anticorpos IgE detectam o alimento e sinalizam um alerta para a célula liberar substâncias químicas tais como a histamina, que resulta em sintomas alérgicos.

A sensibilização aos alimentos ocorre preferencialmente na infância, mas também pode ocorrer na vida adulta. Geralmente ocorre com alimentos ingeridos nas primeiras fases da vida e que são boas fontes de proteínas consumidas em grandes quantidades. Por isso, leite e ovos são alimentos com alto potencial alergênico para bebês e crianças.

Espero que esse post tenha ajudado a tirar algumas dúvidas! Se você tiver perguntas ou comentários, escreva-os abaixo ou envie por email!

Gostou? Compartilhe!

Previous Post Next Post

You Might Also Like

Enviar comentário