Browsing Tag

medicina funcional

Artigos

O que é medicina funcional?

Atualmente estamos vivendo uma epidemia de doenças crônicas, como a hipertensão arterial, diabetes, obesidade, doenças cardíacas, distúrbios hormonais, e demência. Todas estas doenças são fortemente influenciados pela dieta, estilo de vida, meio ambiente, e genética e são adquiridas ao longo de vários anos, silenciosamente, e não de uma hora para outra.  

Infelizmente, a medicina convencional, também conhecida como a medicina ocidental, não tem evoluído em sua abordagem no que diz respeito a esses fatores de risco. É absolutamente ótima no momento do diagnóstico – o que significa dar um nome a um problema – e no tratamento de sintomas agudos. Porém, a longo prazo se restringe ao uso de medicamentos que melhoram pouco ou quase nada determinada condição, e que em troca causam uma vasta gama de efeitos colaterais.

A medicina funcional pergunta por que as coisas deram errado. Por que você sente queimação depois de comer? Por que você está constipado? Por que você está deprimido?  Não é baseada apenas no diagnóstico em si. Independente de ter um diagnóstico de gastrite, depressão, ou qualquer outra doença, nós queremos saber o que aconteceu errado que ocasionou esses desequilíbrios e como corrigi-los.

Por exemplo, imagine que você está usando um sapato 3 números menores que seu pé e então foi diagnosticado com “dor no pé”. A medicina convencional irá prescrever um analgésico para anestesiar a dor. Usando medicina funcional, nós vamos tirar o sapato e descobrir o tamanho certo.

Essa abordagem abrangente possibilita uma compreensão dos sintomas e de como tudo está conectado. Por exemplo, se alguém está constipado, ansioso e não consegue dormir, sob uma abordagem médica tradicional, pode ser prescrito um laxante, um ansiolítico e um remédio para dormir. A medicina funcional reconhece que todos estes sintomas partilham uma necessidade bioquímica de magnésio. A solução pode ser tão simples como adicionar mais magnésio na dieta. Ou não…

Sob o paradigma da medicina funcional, determinamos os desequilíbrios através de reconhecimento de padrões, ouvindo atentamente a história do paciente e realizando testes laboratoriais. Investigamos vários fatores, incluindo:

Fatores ambientais – o ar que respiramos, a água que bebemos, a comida que você come, a qualidade dos alimentos disponíveis, o nível de exercício físico, exposições tóxicas ou traumas – tudo isso afeta a sua saúde.

Elementos mente-corpo – o psicológico, espiritual e também os fatores sociais todos podem ter uma profunda influência sobre sua saúde. Considerar todas essas áreas nos ajuda a avaliar a sua saúde como uma pessoa inteira, não apenas em termos de seus sintomas físicos.

Composição genética – Apesar de genes individuais poderem tornar mais suscetível a algumas doenças, o seu DNA não é um plano imutável para a sua vida. As pesquisas mostram que os genes podem ser influenciados por tudo em seu ambiente, bem como suas experiências, atitudes e crenças. Isso significa que é possível alterar a forma como os genes são ativados e expressos, como interruptores que ligam e desligam a doença. Leia mais aqui.

Através desta avaliação funcional, somos capazes de entender como chave de processos bioquímicos são afetados e por que você tem seus sintomas. A medicina funcional ajuda a desmistificar se o que tem acontecido a você é bioquímico, emocional ou energético.

Tem interesse em saber mais? Clique aqui e agende uma avaliação inicial para descobrir como essa abordagem pode lhe ajudar a recuperar sua saúde!

 Qual é a sua história? Alguma vez você já sentiu que foi reduzid@ a um sintoma ou a um diagnóstico e não conseguiu resolver seu problema? Conte-me nos comentários abaixo ou envie um email. Vou adorar saber mais sobre você!

Gostou? Compartilhe!!!

Artigos, Dicas

DESCUBRA 9 PASSOS SIMPLES PARA SUPERAR AS FÉRIAS

Às vezes nos encontramos em situações difíceis, quando não temos acesso fácil a alimentos saudáveis​​, seja em reuniões familiares, viagens ou festas, já que infelizmente ainda não podemos encontrar suco verde e salada de quinoa em qualquer lugar, e acabamos comendo “o que tem”. Enquanto eu estive viajando no último mês pelo Marrocos, conheci uma pessoa, que se tornou grande amiga, e que estava sofrendo durante a viagem por não ter opções de alimentos sem glúten. Logo após reintroduzir o glúten na alimentação, começou a sentir desconfortos intestinais como constipação, inchaço e gases. Felizmente, ontem ela me escreveu contando que havia voltado a sua dieta habitual e que estava MUITO feliz (sim, muito em caixa alta).

Assim, ficou claro mais uma vez a relação entre o que comemos e a maneira como nos sentimos. Alimentação tem um grande impacto no nosso humor e quando comemos alimentos leves, frescos e naturais, é assim que nos sentimos. Por isso é tão importante escolher os alimentos certos para você. Todos somos diferentes, por isso não há uma dieta ideal que para todo mundo. Então, para eliminar aqueles quilinhos a mais adquiridos nas férias, ter uma pele viçosa, se sentir com mais energia e mais feliz, aqui estão algumas dicas para todos que estiveram em férias, viagens, festas ou simplesmente deseja incluir novos hábitos saudáveis ​​em sua rotina.

  • Beba água. Nenhum outro líquido é como a água. É o componente que está presente em maior quantidade em nosso corpo, sendo que compõe 75% do peso cerebral. Desidratação leve pode causar cefaléia, fadiga,dores nas costas, constipação, pele ressecada, artrite, entre outros. Beba água sempre que tiver sede e esqueça os refrigerantes (mesmo os zero) e sucos de caixinha. Em média, um adulto necessita de 2 a 3 litros (aproximadamente 10 a 12 copos) de água por dia, mas isso varia de acordo com vários fatores como idade, temperatura ambiente e corporal, alimentação e atividade física. Água natural é a melhor escolha. Se você busca uma saúde de qualidade a longo prazo, faça da água uma prioridade e um hábito em sua vida.
  • Tome chá verde – O chá verde é uma bebida milenar fabulosa que facilita a queima de gordura através da termogênese e é rico em antioxidantes polifenóis que combatem poderosamente os radicais livres retardando o envelhecimento. Por conter uma pequena quantidade de cafeína aumenta a energia e promove foco mental, e como contém a L-theanina, um aminoácido que promove relaxamento, diminui a ansiedade e tem um efeito calmante (ansiedade é um efeito colateral comum em pessoas que consomem café). Ainda, estudos demonstram que indivíduos que tomaram 5 ou mais xícaras de chá verde por dia tiveram menos risco de hipertensão arterial e diabetes. Inicie tomando uma xícara de chá ao dia e vá aumentando de acordo com o que seu corpo pedir.
  • Suco verde – Intencione beber um copo de suco verde por 7 dias. Pode ser de manhã, a tarde  ou a noite. Depois disso, os benefícios serão tantos que você não vai querer parar. Se você não sabe por onde começar, clique aqui.
  • Evite alimentos processados, que contém compostos químicos prejudiciais a saúde como o monoglutamato de sódio, gorduras trans, adoçantes artificiais e açúcar. Isso é facilmente realizado evitando-se comer produtos que vem em pacotes e que tem uma lista muita longa de ingredientes. Escolha produtos in natura, que podem ser comidos como a mãe natureza nos apresentou. Qual foi a última vez que você viu uma lista de ingredientes numa maçã?
  • Aumente a ingestão de verduras. Verduras fortalecem o sangue e o sistema respiratório. Quando você nutre-se com verduras, irá naturalmente eliminar os alimentos que lhe deixam doente. Folhas verdes também são alimentos altamente alcalinos. Minerais alcalinos neutralizam condições acidificantes no nosso corpo causadas pelo ambiente. Vegetais verdes ajudam a reabastecer os depósitos corporais de minerais alcalinos e filtram poluentes. Nutricionalmente, verduras são muito ricas em cálcio, magnésio, ferro, potássio, fósforo, zinco e vitaminas A, C, E e K. São carregadas de fibras, ácido fólico, clorofila e muitos outros micronutrientes e fitoquímicos. Apesar de se recomendar escolher orgânico, comer verduras não orgânicas é preferível a não comer nenhuma verdura.
  • Reduza o consumo de carnes e principalmente embutidos, como peito de peru, salames, presuntos, etc. Esses produtos contém substâncias extremamente maléficas como nitrosaminas e altas quantidades de sódio. que sobrecarregam seu organismo e são comprovadamente causadoras de câncer e diabetes mellitus tipo 2.
  • Exercite-se. Assim como certos alimentos nos protegem de doenças cardíacas, câncer e diabetes, atividade física regular é importantísimo para promover uma boa saúde. Sem exercício, é difícil chegar ao seu potencial físico e mental e alcançar bem-estar geral. Exercitar-se meia hora por dia melhora a qualidade do sono, age no controle de peso, melhora a flexibiliade e aumenta o trânsito intestinal. Encontre um parceiro para caminhar, faça uma aula de yoga, natação, ande de bicicleta, o que você preferir para se manter ativo.
  • Durma bem. Pessoas que dormem menos de 6 horas por noite tem maior chance de apresentar sobrepeso e obesidade. Um grande estudo de 87.000 adultos norte-americanos , realizado pelo Centro Nacional de Estatísticas de Saúde , demonstrou que a taxa de obesidade foi maior, em 33 por cento, entre aqueles que dormiam menos de seis horas e menor, de 22 por cento, entre aqueles que dormiam sete a oito horas uma noite . Isso era verdade, tanto para homens e mulheres, independentemente da idade.

Se uma boa noite de sono está longe da sua realidade, um dos melhores e mais simples remédios: Evite tanto cafeína como o álcool, especialmente nas últimas quatro horas do dia. Apague as luzes da casa. Não olhe para as telas brilhantes – incluindo as de smartphones cada vez mais sedutores – nas horas finais antes de ir para a cama. A leitura na tela do computador ou tablet, duas horas antes de dormir pode atrasar o seu sono por cerca de uma hora!

Este é um guia para você incorporar hábitos saudáveis em sua rotina. Para começar, escolha uma ou todas as dicas acima, no seu ritmo. É muito importante determinação e comprometimento. Uma vida saudável não é um objetivo, e sim um caminho para uma vida melhor.

Vou adorar saber o que você achou, escreva nos comentários ou envie por email.

 

Serafini, M., A. Ghiselli, and A. Ferro-Luzzi. “In vivo antioxidant effect of green and black tea in man.” European journal of clinical nutrition 50, no. 1 (1996): 28-32.

Wolfram, Swen. “Effects of green tea and EGCG on cardiovascular and metabolic health.” Journal of the American College of Nutrition 26, no. 4 (2007): 373S-388S.

Juneja, Lekh Raj, Djong-Chi Chu, Tsutomu Okubo, Yukiko Nagato, and Hidehiko Yokogoshi. “L-theanine—a unique amino acid of green tea and its relaxation effect in humans.” Trends in Food Science & Technology 10, no. 6 (1999): 199-204.

Dulloo, Abdul G., Claudette Duret, Dorothée Rohrer, Lucien Girardier, Nouri Mensi, Marc Fathi, Philippe Chantre, and Jacques Vandermander. “Efficacy of a green tea extract rich in catechin polyphenols and caffeine in increasing 24-h energy expenditure and fat oxidation in humans.” The American journal of clinical nutrition70, no. 6 (1999): 1040-1045.

Hooda J., Shah A., Zhang Li.” Heme, an Essential Nutrient from Dietary Proteins, Critically Impacts Diverse Physiological and Pathological Processes.”Nutrients 2014, 6, 1080-1102; doi:10.3390/nu6031080

Girardin Jean-Louis, Natasha J Williams, Daniel Sarpong, Abhishek Pandey, Shawn Youngstedt, Ferdinand Zizi and Gbenga Ogedegbe Associations between inadequate sleep and obesity in the US adult population: analysis of the national health interview survey (1977–2009) BMC Public Health 2014, 14:290

 

Artigos

As 7 principais causas de adoecimento

Quando confrontados com uma doença crônica ou diagnóstico de uma doença auto-imune, é fácil se perguntar “Por que eu?”

Como é que algumas pessoas que comem uma dieta ocidental padrão parecem ser livre de doença, enquanto outros que fizeram tentativas para mudar seus hábitos alimentares ainda lutam com doenças crônicas e câncer?

A verdade da questão é que não há “uma única coisa” que influencia se você vai desenvolver uma doença auto-imune ou uma doença crônica. Vários aspectos do seu ambiente interagem com seus genes para criar um estado de saúde ou doença. Aqui estão os 7 principais fatores que influenciam o desenvolvimento de doença.

  1. Deficiências nutricionais

A saúde ideal requer um máximo de micronutrientes, ou seja, as vitaminas, minerais, gorduras essenciais e antioxidantes na sua dieta. Dietas que não têm frutas e vegetais suficientes não possuem as vitaminas e minerais que de que seu corpo precisa para prosperar. Uma dieta com frutas e legumes insuficientes e, portanto, micronutrientes insuficientes, tem sido associada a taxas mais altas de câncer, diabetes, pressão alta, doenças cardíacas e esclerose múltipla.

  1. Sensibilidades alimentares não reconhecidas

A sensibilidade ao glúten é a sensibilidade alimentar mais comum na sociedade ocidental, e mesmo assim 90% de nós não relatam problemas com a digestão ou outros problemas gastrointestinais. Sensibilidades alimentares são muitas vezes uma parte invisível de muitas doenças, incluindo problemas psicológicos, problemas neurológicos, problemas auto-imunes, erupções cutâneas, asma, alergias, e muito mais. Se você tem um problema crônico de saúde, tente seguir uma dieta livre de glúten por um mês – você pode sentir-se melhor do que você se sentiu em anos.

  1. Excesso de toxinas

Hoje, o nosso ambiente é cheio de poluição e toxinas excretados pelos veículos, fábricas, plásticos em nossas casas, mercúrio em obturações dentárias, e sprays químicos agrícolas. Estes produtos químicos interagem com as nossas células, com os sinais que são enviados entre as células, e com as nossas mitocôndrias, interrompendo a função normal e aumentando a inflamação. Estas toxinas aumentam tanto a probabilidade de contrair uma doença crônica como a gravidade dos sintomas da doença. Reduzir a sua exposição aos plásticos, solventes e metais pesados irá ajudá-lo a alcançar e manter uma boa saúde, assim como o aumento de consumo de vegetais e frutas vermelhas, o que melhora o processamento e eliminação dessas toxinas.

  1. O excesso de estresse

O estresse é necessário para a vida. Sem o stress de gravidade, os nossos ossos e músculos se dissolveriam. O estresse crônico, porém, perturba o equilíbrio hormonal e aumenta a inflamação em geral. Praticar meditação ou outra atividade de redução de estresse diariamente pode ajudar a reduzir os níveis de estresse e proteger as células da inflamação.

  1. Exercício inadequado

Nossos antepassados andavam 3-9 milhas em média a cada dia, e nosso cérebro e corpo esperam que a gente se mova diariamente. Atividade física insuficiente ao longo de toda uma vida tem muito impacto nas chances de desenvolver demência antes da idade de 60 anos. O exercício regular também pode melhorar o humor e a diminuir a inflamação no corpo.

  1. Sono inadequado

Há muitos estudos que ligam a qualidade e duração do sono com a saúde. Dormir adequadamente é importante no gerenciamento do estresse, reduzindo a fadiga, proporcionando equilíbrio hormonal, e promovendo a saúde celular. O sono é a oportunidade do corpo para curar-se e crescer. Não estar recebendo de 7 a 9 horas de sono por noite interrompe muito a biologia corporal normal. Mesmo se você acha que fica bem com menos de 7 horas de sono, seu corpo paga um alto preço e se torna mais suscetível a um ataque cardíaco, obesidade, diabetes, além de declínio precoce da memória e problemas auto-imunes.

  1. Enzimas ineficientes (DNA)

Cada um de nós tem uma combinação única de enzimas eficientes e ineficientes, cortesia do DNA que herdamos de nossos pais. É a interação entre a eficiência e ineficiência dessas enzimas com nossas escolhas de dieta e estilo de vida que determinam quais as doenças crônicas que adquirimos. Consumindo uma dieta rica em nutrientes, reduzindo o risco de alergias alimentares, comendo e vivendo orgânicos, seguindo uma prática de redução de estresse regularmente, e dormindo 7 ou mais horas de sono por noite reduz drasticamente o risco dessas enzimas ineficientes levarem a uma doença crônica.

Em última análise, as nossas escolhas de dieta e estilo de vida são responsáveis por criar tanto saúde, energia abundante, alegria e uma mente clara ou problemas com a fadiga, confusão mental, dor e outras queixas físicas. A doença começa com uma química quebrada em nossas células, que surge a partir de nossa escolhas de dieta e estilo de vida. Coma e viva para suas células hoje e sinta-se melhor amanhã.

Terry Wahls, autora, médica, professora, pesquisadora e paciente reverteu a esclerose múltipla, uma doença crônica através da alimentação e mudanças de estilo de vida.

http://www.healthy-holistic-living.com/top-7-reasons-get-diseases.html

Receitas

Guia completo do suco verde

O verão é uma ótima estação para beber suco verde diariamente, seja no café da manhã, almoço, após uma atividade física ou a qualquer hora que você tiver vontade.

Um estudo recente realizado no Reino Unido demonstrou que as pessoas que consomem mais de sete porções de frutas e vegetais por dia têm um risco menor de câncer e doenças cardiovasculares do que aqueles que não o fazem. Sucos verdes são uma maneira maravilhosa (e fácil ) para obter as várias dessas porções em sua dieta !

Eu sei que muitas pessoas pensam que comer de forma saudável leva muito tempo, mas sucos verdes são fáceis, e super rápidos – em cinco minutos você coloca tudo no liquidificador , bate e, em seguida, se eu estou realmente ocupada eu levo comigo para onde for para ir bebendo no caminho. Ainda, se você quiser algo mais rápido, você pode preparar a noite e deixar na geladeira. Porém lembre- se de não adicionar as sementes de chia, ou você vai acabar com um pudim de chia e vai ter que comer com uma colher (o que eu também adoro). Também é uma ótima opção para quando você está sem tempo de preparar almoço ou mesmo parar pra almoçar – leve para o trabalho e deixe na geladeira, e você terá um almoço energizante, leve e que irá lhe saciar durante a tarde. Outra opção é bater uma quantidade maior de suco e congelar em formas de gelo. Quando for beber, adicione 2 ou 3 cubinhos ao liquidificador com meia xícara de água.

As combinações são infinitas. Segue abaixo um guia simples que você pode seguir.

Escolha a sua base :

Acrescente 2 xícaras de uma das seguintes bases ao seu liquidificador :

Água
Água de côco
Leite de côco
Leite Amêndoas, castanha Caju ou castanhado Pará


Escolha as suas verduras:

Escolha de 1 a 2 xícaras das seguintes verduras e adicione (sem o talo) ao seu liquidificador :

Espinafre
Couve
Acelga
Salsinha
Aipo ou salsão
Folhas de beterraba
Folhas de cenoura
Folhas de brócolis
Alface romana

Escolha as suas frutas

Escolha de 2 a 3 xícaras de frutas a seguir para adicionar ao seu liquidificador :

Banana
Cerejas
Framboesas
Mirtilos
Amoras
Morangos
Manga
Abacaxi
Mamão
Abacate
Pêssegos
Pêras
Maçãs
Pepino

Escolha 1 colher de sopa dos seguintes superalimentos para adicionar ao seu liquidificador :

Óleo de coco
Cacau
Sementes de Chia
Sementes de linhaça
Sementes de cânhamo
Canela
Baunilha
Maca
Spirulina
Chlorella

Você ainda pode adicionar ½ (meia) xícara de raízes:

Cenoura
Beterraba
Inhame
Gengibre (adicione apenas um pedaço de aproximadamente 2,5 cm)
Bata tudo no liquidificador e aproveite!

Qual a sua combinação preferida?