All Posts By

dramarcella

Saúde Integrativa

Entenda a diferença entre alergia e intolerância alimentar

O número de pessoas com intolerâncias ou alergias alimentares está cada vez maior. Como este é um assunto que pode causar muitas dúvidas, inseguranças e frustrações na vida de quem está passando por isso direta ou indiretamente, resolvi falar um pouco mais sobre ele aqui hoje.

A grande maioria das reações físicas a certos alimentos é provocada por intolerâncias alimentares, porém, como principalmente os sintomas gastrointestinais são comuns nas duas condições, alergia e intolerância, muitas pessoas os confundem.

Uma verdadeira alergia alimentar provoca uma reação do sistema imunológico que afeta vários órgãos do corpo. Ela pode causar uma variedade de sintomas que envolvem o trato respiratório, gastrointestinal e a pele. Em alguns casos, uma reação alérgica a um alimento pode ser grave com risco de morte. Em contraste, os sintomas de intolerância alimentar são geralmente menos graves e muitas vezes limitados a problemas digestivos.

Nos casos de intolerância alimentar, há a possibilidade de comer pequenas quantidades do alimento agressor ou reduzir o seu impacto. Por exemplo, se você tem intolerância à lactose, você pode beber leite sem lactose ou tomar comprimidos de enzimas de lactase para auxiliar na digestão. O mesmo não acontece nos casos de alergias.

Se você tem uma alergia alimentar, a ingestão pequenas quantidades do alimento pode desencadear uma reação alérgica com risco de morte (anafilaxia), mesmo se as reações anteriores foram leves. Não há como prever a intensidade da reação do corpo quando em contato com o alérgeno. Alérgenos são proteínas comumente encontradas em alimentos que podem induzir uma reação de hipersensibilidade. Os alimentos mais alérgenos são: ovos, peixe, ostras, leite de vaca, amendoim, soja, castanhas e trigo.

Os alimentos mais alérgenos são: ovos, peixes, ostras, leite de vaca, amendoim, soja, castanhas e trigo.

As reações alérgicas alimentares acontecem quando o sistema imunológico confunde uma proteína inofensiva com um invasor e a ataca, produzindo imunoglobulinas (anticorpos) do tipo IgE, ou seja, proteínas especiais que podem detectar proteínas alimentares específicas presentes na superfície das células em todo o corpo. Como um radar, esses anticorpos IgE detectam o alimento e sinalizam um alerta para a célula liberar substâncias químicas tais como a histamina, que resulta em sintomas alérgicos.

A sensibilização aos alimentos ocorre preferencialmente na infância, mas também pode ocorrer na vida adulta. Geralmente ocorre com alimentos ingeridos nas primeiras fases da vida e que são boas fontes de proteínas consumidas em grandes quantidades. Por isso, leite e ovos são alimentos com alto potencial alergênico para bebês e crianças.

Espero que esse post tenha ajudado a tirar algumas dúvidas! Se você tiver perguntas ou comentários, escreva-os abaixo ou envie por email!

Gostou? Compartilhe!

Dicas, Saúde Integrativa

Descubra como encontrar a alimentação ideal para você

Apesar de seguir o veganismo como estilo de vida por defender as causas animais e ambientalistas, hoje eu gostaria de introduzir um conceito da alimentação baseada em plantas (plant based diet), que compreende um estilo de alimentação baseado em alimentos sazonais (da época), locais ( provenientes de agricultura familiar próxima), frescos e integrais.

Uma alimentação baseada em plantas pode abranger uma grande variedade de alimentos e dietas, porém com algo em comum entre todas elas. Sua base está enraizada no consumo de vegetais frescos, frutas, nozes, sementes, grãos integrais, legumes e outros alimentos que oriundos das plantas. Desse modo, você não se limita a títulos de vegano, vegetariano, crudívoro, macrobiótico, etc .; e sim, pode usa-los como modelos a partir dos quais é possível criar uma dieta personalizada, ou seja, que significa ter uma dieta baseada predominantemente em plantas.

Não há um tipo de alimentação ideal para todos. Cada indivíduo tem necessidades diferentes em diferentes fases da vida. Meu trabalho como médica e coach em saúde é ajudar meus pacientes a descobrirem quais alimentos os beneficiam através do auto-conhecimento, e não apenas impor uma alimentação que eu acho mais adequada sem sua participação e  sem considerar suas peculiaridades. Por isso, não sou fã de rotulagens, especialmente quando nos referimos a estilos alimentares, já que isso cria toda uma identidade reducionista em torno de ser ” vegetariano”, ” crudívoro”, “paleo “, etc.

Através da minha experiência diária com pessoas que estão buscando mudar sua alimentação para se tornarem mais saudáveis, pude perceber que essa rotulagem pode criar uma resistência às mudanças, uma vez que remetem a diretrizes rigorosas e difíceis de serem seguidas no dia-a-dia.

Eu realmente acredito que nós podemos seguir o que gostamos de determinadas dietas e deixar para trás o que não nutre nossos corpos individualmente, para criar o próprio estilo de alimentação que funciona melhor para cada um!

Dica: Para saber como seu corpo está reagindo a determinados tipos de alimentos e qual o melhor tipo de alimentação para você, experimente fazer um diário alimentar. Anote no seu celular ou agenda quais foram os principais alimentos e refeições do dia e como você se sentiu após te-los ingerido. No final da semana, você vai perceber que tem muitas informações sobre você das quais nunca havia se dado conta. Aqui seguem 3 perguntas que você pode fazer a si mesma antes de escrever:

  • Depois dessa refeição, estou me sentindo energizada e leve ou pesada e com sono?
  • Como meu intestino recebeu essa refeição? Houve formação de gases e sensação de abdome inchado?
  • Depois de comer esse alimento, me senti satisfeita e nutrida, ou com vontade de comer mais?

Espero que tenha gostado do post!

Qual estilo de alimentação tem funcionado bem para você? Vou adorar ler seu comentário aqui abaixo ou no facebook.

Gostou? Compartilhe!

 

Receitas

Delícia matutina: panquecas de banana

Hoje eu quero compartilhar com vocês mais uma receita pela qual estou apaixonada. Desde que eu as descobri, tenho feito toda a semana: panquecas de banana! Elas são tão gostosas que é difícil de acreditar que são tão saudáveis! E o melhor ainda, são muito fáceis de fazer e ficam prontas em 5 minutinhos.

Essas panquecas ficam iguais as panquecas americanas, macias e deliciosas. Elas não levam ovos na massa, que são substituídos pela chia hidratada, o que fornece uma grande quantidade de fibras, proteínas, omega 3 e também as tornam extremamente satisfatórias.

Eu usei farinha de trigo sarraceno ou mourisco, um grão muito consumido na Rússia que não contém glúten (encontrada em lojas de produtos naturais ou aqui) por isso ela ficou com uma cor mais escura. Esse cereal é rico em magnésio, manganês, ferro, além de conter mais proteínas que o arroz e ser uma ótima fonte de energia. Se preferir uma opção mais fácil, a farinha de arroz integral ou mesmo a farinha de aveia funcionam muito bem.

null (2)

Sirva essas panquecas no café da manhã para a sua família, namorad@, amigos e não conte para ninguém quais são os ingredientes. Em seguida, diga que as panquecas são veganas e sem glúten. Provavelmente você será chamad@ de mentiros@!

 

Ingredientes:

panquecas-1-3

1 xícara de farinha de trigo sarraceno

2 bananas maduras

1/2 xícara de água

½ xícara de farinha de amêndoas ou de coco (opcional)

2 colheres de chá de canela

1 colher de sopa de agave (opcional)

1 pitada de sal rosa

chia hidratada*

óleo de coco (para cozinhar)

 

Para acompanhar:

Morangos (de preferência orgânicos)

uma colher de sopa de melado ou agave (ou mel para uma opção não vegana)

Cacau nibs

Sementes de linhaça

 

Instruções:

* Chia hidratada: em uma xícara adicione uma colher de sopa de chia e 3 colheres de sopa de água e reserve por 2 ou 3 minutos, até obter uma consistência gelatinosa.

1-Adicione todos os ingredientes, exceto o óleo de coco a um processador de alimentos ou liquidificador. Bata até obter uma mistura homogênea.

2- Aqueça uma frigideira anti-aderente e quando estiver bem quente adicione 1 colher de chá de óleo de coco. Coloque em média uma a duas colheres de sopa da mistura e espalhe no formato desejado. Espere dourar, o que leva em media 2 minutos, observe se a panqueca está cozida em baixo e vire para dourar do outro lado. Retire da frigideira quando estiver pronta e repita o processo.

3- Adicione os acompanhamentos que estiver usando e sirva!

Rende aproximadamente 8 panquecas médias. Se quiser uma porção menor, você pode guardar o que sobrar da massa crua na geladeira e fazer no dia seguinte.

Gostou? Compartilhe!

Saúde Integrativa

Descubra como encontrar motivação para fazer atividade física: entrevista

Quase todo mundo sabe que movimentar-se é saudável, faz bem para o corpo e para a mente, alivia o estresse, libera endorfinas. Então porque nem todo mundo tem a rotina de exercícios que gostaria?

Sendo médica e coach integrativa, uma das minhas funções é manter meus pacientes focados e motivados durante o programa, e como citado acima, atividade física é um dos pilares de uma vida saudável. Mesmo sabendo de todos os benefícios, algumas, ou melhor, muitas pessoas tem dificuldade em sentir prazer ou vontade de praticar exercícios. As desculpas são muitas, desde falta de tempo, de dinheiro, disposição — isso lhe soa familiar?

Por isso hoje vou compartilhar com vocês uma entrevista realizada com uma querida paciente. No momento em que ela entrou radiante em meu consultório contando sobre o seu fim de semana e como tinha feito seu melhor tempo na prova de corrida da famosa 10 milhas da Garoto (16 quilômetros) que aconteceu algumas semanas atrás aqui em Vitória, decidi que teria que compartilhar essa história com vocês. Além de ter alcançado seu melhor tempo e ganhar uma medalha como prêmio, Daniela também ganhou de seu marido um aposta, por ter terminado a corrida em menor tempo que ele. O prêmio da aposta é 12 jantares que serão realizados mensalmente durante 1 ano.

Que ótima forma de encontrar motivação. Tanto a prova da corrida quanto a aposta romântica criaram uma expectativa para além da rotina e obrigação de todo dia. Não há como negar, quando tudo está integrado: o amor, companheirismo, saúde e bem-estar os resultados são sempre os melhores.

Confira abaixo as super dicas que Daniela compartilhou conosco:

Nome, idade e profissão:

Daniela Thomes Coelho, 32 anos, assessora jurídica do Ministério Público Federal.

Há quanto tempo você tem o hábito de correr e por que você mantêm esse costume?

Comecei a correr em 2006, quando fui morar na Inglaterra. Foi a maneira que encontrei de manter uma rotina de exercícios físicos longe de casa, onde costumava malhar na academia. A corrida tem esse lado prático: você não precisa de ninguém para te acompanhar, nem de aparelhos, e nem de um local especial.

– Essa não foi a sua primeira participação na corrida das 10 milhas da Garoto. O que você acha que contribuiu para o seu melhor desempenho nessa corrida?

O evento da Garoto desse ano foi minha melhor experiência nessa prova, por vários motivos: foi o meu melhor tempo; não senti exaustão durante o percurso, circunstância experimentada em outras oportunidades; não senti nenhuma dor ou desconforto muscular após a prova!

corrida

Daniela e seu marido

– Como foi a sua alimentação no dia do evento?

Acordei cedo e me alimentei 3 horas antes do horário marcado para o início da prova. Comi três panquecas pequenas de banana (veganas! Receita em http://deliciouslyella.com/vegan-banana-pancakes-gluten-free-dairy-free-sugar-free – com uma pequena modificação: incluí maca peruana em pó na massa), com mel, morangos e nibs de cacau. Antes de sair de casa, aproximadamente 40 minutos antes da largada, tomei um café expresso.

Essas panquecas alimentam! Virou um hábito comê-las antes dos treinos: dão energia por muito tempo e sem pesar no estômago.

– Como é sua rotina de exercícios durante a semana?

Tento praticar atividade física todos os dias!! Os treinos de corrida são 3 vezes por semana; 2 vezes na semana faço treinamento funcional na praia de Camburi (CT Vida Plus) e nos outros dias pratico yoga. Descobri que variando a modalidade do exercício (corrida/funcional/yoga) eu me sinto estimulada a fazer atividades físicas todos os dias, pois não há monotonia.

Como era a sua vida antes de começar o programa de coaching em saúde integrativa e como está agora?

As mudanças são gradativas: acho que já tinha em mim um anseio por uma vida com mais bem estar e, nessa busca, encontrei o programa de coaching da Dra. Marcella. Em um primeiro momento, imaginei que seria algo mais restrito à nutrição; depois, descobri que a abordagem é mais abrangente, preocupada com a integridade do ser.

7- Como o programa tem lhe dado suporte?

Participar desse programa está sendo uma experiência surpreendente: sinto-me acolhida e orientada.

 – Você tem alguma dica para quem está começando a correr ou adotando uma alimentação saudável?

No caso da corrida, ter uma orientação especializada torna os treinos mais interessantes. Há profissionais que montam planilhas de treinos, com diferentes estímulos (ladeira, areia, treinos de velocidade, treinos de longa distância etc). Dessa maneira, cada treino é um desafio novo!

Em relação à alimentação, a dica é experimentar, vencer preconceitos! Ajuda também perder a preguiça da cozinha: encaro o momento de cozinhar como uma terapia e um ato de cuidado comigo.

Como tem sido o seu relacionamento com atividade física? Você tem aproveitado todo o potencial do seu corpo ou sempre está deixando para começar na semana que vem?

Gostou? Compartilhe!!

Artigos

O que você precisa saber sobre uma dieta vegetariana

Figuras de renome mundial tão diversos como os filósofos Platão e Nietzsche, os líderes políticos de Benjamin Franklin a Gandhi, e ícones pop Paul McCartney e Bob Marley, todos defendiam ou defendem uma dieta vegetariana. A ciência também está ao lado do vegetarianismo, pois é grande o número de estudos que têm demonstrado que uma alimentação vegetariana/vegana traz inúmeros benefícios para a saúde.

“Vegetariano” é quem não come carnes, seja ela de frango, peixe ou bovina. Vegetarianos que evitam carne, mas comem produtos de origem animal, como queijo, leite e ovos, são ovo-lacto-vegetarianos (ovo = ovo; lacto = leite, queijo, etc.). As pessoas que abstém-se de qualquer alimento de origem animal são chamadas de vegetarianos puros ou veganos. O que a investigação científica mostra é que os benefícios a saúde aumentam à medida que a quantidade de alimentos de origem animal na dieta diminui, por isso as dietas veganas são em geral as mais saudáveis.

Como muitas pessoas tem me perguntado sobre esse tipo de alimentação, vou dedicar este post para esclarecer um pouco mais sobre o que acontece no nosso corpo quando paramos de comer carne e outros produtos de origem animal:

1- Você pode perder alguns quilos:

Em uma meta análise(1), o médico Neal Barnard, professor adjunto de medicina na George Washington University of Medicine, recentemente revisou todos os ensaios clínicos de dietas vegetarianas, em termos de perda de peso. Seus resultados, publicados no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, revelam que uma alimentação baseada em vegetais tende a nos deixar mais leves – mesmo que esse não seja o objetivo original para essa alimentação. A média de perda de peso encontrada pelo Dr.Barnard: 3,5 kg. Quanto mais tempo durou o estudo, maior foi a perda.

2- Você estará se protegendo de câncer, doenças cardíacas e diabetes:

Dietas vegetarianas baseadas em alimentos naturais e integrais contém baixo teor de gordura saturada, são ricas em fibras e repletas de fitoquímicos que ajudam a prevenir o câncer. Amplos estudos realizados na Inglaterra e na Alemanha demonstraram que os vegetarianos tem cerca de 40 por cento menos probabilidade de desenvolver câncer em comparação aos que comem carne. (2-4)

Também ajudam a prevenir doenças cardíacas. Produtos de origem animal são a principal fonte de gordura saturada e a única fonte de colesterol na dieta. Além disso, a fibra ajuda a reduzir o colesterol e produtos de origem animal contêm nenhuma fibra. Quando os indivíduos mudam para uma alimentação com alto teor de fibras e com baixo teor de gordura seus níveis séricos de colesterol muitas vezes caem dramaticamente.(5,6)

3- Seus músculos podem precisar de mais tempo para se recuperar.

Proteína é essencial para a construção muscular, mantendo e reparando o músculo no pós-treino. Isso é invariável, porém a fonte de proteína não. Sendo proteína animal ou vegetal a função dela no organismo será a mesma, apenas a última vai demorar um pouco mais para fazer seu trabalho. Sabendo disso, uma ótima forma de obter sua proteína pós-treino é na forma líquida, como qualquer um desses smoothies aqui,  já que os líquidos são absorvidos mais rapidamente que os sólidos.

4- Você pode precisar suplementar. Mas não muito.

A vitamina B12 é uma questão importante para veganos, embora muito fácil de lidar. Encontrada principalmente em produtos de origem animal, pequenas quantidades podem ser encontrados em produtos vegetais, devido à contaminação bacteriana.(7,8) No entanto, estes alimentos de origem vegetal e fermentados, como a spirulina, algas e misô não fornecem uma fonte ativa e confiável, (9) por isso a vitamina B12 deve ser obtida de outras fontes. A ingestão regular de vitamina B12 é importante para atender às necessidades nutricionais. É especialmente importante para as mulheres grávidas, mães que amamentam e crianças obter quantidade suficiente de vitamina B12.

Espero que esse post lhe ajude a considerar suas escolhas alimentares. Eu tenho evitado produtos de origem animal há 1 ano e meio e nunca me senti tão bem. Como você tem se sentido com a sua alimentação?

Gostou? Compartilhe!

 

foto: greenkitchenstories

Referencias

1- Barnard ND, Levin SM, Yokoyama Y. A systematic review and meta-analysis of changes in body weight in clinical trials of vegetarian diets.J Acad Nutr Diet. Published online on January 21, 2015.

2- Thorogood M, Mann J, Appleby P, McPherson K. Risk of death from cancer and ischaemic heart disease in meat and non-meat eaters. Br Med J. 1994;308:1667-1670.

3- Chang-Claude J, Frentzel-Beyme R, Eilber U. Mortality patterns of German vegetarians after 11 years of follow-up. Epidemiology. 1992;3:395-401.

4- Chang-Claude J, Frentzel-Beyme R. Dietary and lifestyle determinants of mortality among German vegetarians. Int J Epidemiol. 1993;22:228-236.

5- Barnard RJ, Inkeles SB. Effects of an intensive diet and exercise program on lipids in postmenopausal women. Women’s Health Issues. 1999;9:155-161.

6. Barnard ND, Scialli AR, Bertron P, Hurlock D, Edmonds K, Talev L. Effectiveness of a low-fat vegetarian diet in altering serum lipids in healthy premenopausal women. Am J Cardiol. 2000;85:969-972.

7. Herbert V. Vitamin B-12: plant sources, requirements, and assay. Am J Clin Nutr. 1988;48:852-858.
35.

8. Rauma A, Torronen R, Hanninen O, Mykkanen H. Vitamin B-12 status of long-term adherents of a strict uncooked vegan diet (“living food diet”) is compromised. J Nutr. 1995;125:2511-2515.

9. Position of the American Dietetic Association: vegetarian diets. J Amer Diet Assoc. 2003;103(6):748-765.

 

Saúde Integrativa

Porque comida é remédio?

Tâmaras, frutos da palmeira assim como o coco e o dendê, são algumas das plantas cultivadas mais antigas conhecidas no registro histórico; na verdade, são tão antigas que não sabemos ao certo onde se originaram. Foram extremamente importantes para dar suporte a vida e nutrição em regiões que  muitas vezes são escassas em recursos comestíveis como nos desertos.

Estão cada vez mais sendo pesquisadas como um poderoso alimento medicinal. Mesmo enquanto as análises científicas das tâmaras estão começando a revelar que elas são densamente carregadas com uma ampla gama de minerais, vitaminas, aminoácidos e ácidos graxos, é preciso levar em conta que não são apenas fontes de energia e blocos de material de construção para o nosso corpo. Temos de reconhecer que são também fontes de alto valor biológico, ou seja, de informações.

Quando analisamos um alimento em termos de minerais, vitaminas, e macronutrientes (por exemplo, lipídios, gorduras e proteínas) que acreditamos serem responsáveis ​​pelas suas propriedades nutritivas e de sustentação da vida, estamos nos restringindo a apenas uma parte do que ele tem a nos oferecer.

Alimentos contêm centenas, senão milhares, de biomoléculas fisiologicamente importantes que em conjunto modulam a expressão de milhões de genes em nosso corpo, assim como afetam a nossa microbioma. É por isso que quando dizemos que comida é medicina, não estamos simplesmente usando uma metáfora. Sabemos agora que o alimento é capaz, a um nível molecular, de modular positivamente uma ampla gama de vias biológicas, simultaneamente, de uma maneira que as drogas simplesmente não conseguem replicar.

Na verdade, acredito que alimentos contém uma quantidade imensa, se não infinita, de informações que nosso corpo usa para regular uma expressão genética ideal, especialmente em momentos de estresse ou desequilíbrio. Sabemos disso por meio da curcumina, por exemplo, que é apenas uma das centenas de biomoléculas encontradas na especiaria açafrão e é capaz de modular mais de 2000 genes simultaneamente em uma linhagem celular cancerígena, com um resultado final positivo.

Tanto a especificidade quanto a amplitude através da qual estes compostos alimentares são capazes de corrigir os desequilíbrios é simplesmente incrível e revelam uma inteligência interna de certas plantas e determinados alimentos com finalidade medicinal que não podem nem ser explicadas em termos e métodos das ciências reducionistas que ainda constituem a base da nossa compreensão da nutrição convencional.

Então como o assunto de hoje começou com tâmaras, aqui vão algumas dicas sobre elas para você:

Onde Comprar | lojas de alimentos saudáveis, supermercados ou lojas online.

Dicas e Truques | tâmaras são ótimas opções pré / pós-treino porque fornecem rápida digestão de carboidratos e açúcares simples. Eu armazeno as minhas tâmaras na geladeira porque onde eu moro é muito quente, mas você pode armazenar em um frasco de vidro hermético na sua despensa para mantê-las macias e prontas para serem usadas em receitas.

Então o que você está esperando para incluir esse e outros alimentos ricos em história e nutrientes na sua vida?

Aqui seguem algumas sugestões para você começar:brownies batata doce

 brigadeiros do bem

mousse de cacau super saudável

brownie de batata doce

Gostou? Compartilhe!